segunda-feira, 26 de outubro de 2009

2 de Agosto - The Varanasi Tour

Depois de um sono longo e reparador (tomámos uns comprimidos para dormir uma vez que o cansaço nos estava a dificultar a possibilidade de um sono descansado), fomos dar uma volta pelos Ghats à beira do Ganges.

Estávamos ao cimo do Ghat principal, onde se cremam corpos durante todo o dia e noite, quando o Phill resolve fotografar o Ganges. Ora, o pessoal que ali estava achou que ele estava a fotografar a cremação (o que é proibido) e de imediato fomos interpelados por um bando de rapazes com ar de poucos amigos que não paravam de reclamar com o Phill e que nos queriam levar para sabe-se lá onde. Saímos dali a correr e descemos para a beira do rio.

Durante o resto da nossa estadia em Varanasi fomos sendo interpelados por um outro par de rapazes que assistiram à cena da manhã e que nos acusavam de profanar um acto religioso (cheguei a ver o caso mal parado quando um novo bando nos rodeou, impossibilitando de sair dali, e disse que ia chamar o chefe deles): por fim, o Phill conseguiu pôr cobro àquela loucura e disse que não tinha fotografado prática religiosa nenhuma e que não percebia como é que a religião deles, sendo tão apologista da tolerância os levava a ser tão violentos e desrespeitadores (na verdade, o que eles queriam era que lhes déssemos dinheiro para nos deixarem em paz)… enfim, tudo se resolveu com amaeaça de chamar a polícia.

No resto da manhã ainda conhecemos o responsável por um dos Ghats que nos proporcionou uma explicação formidável sobre o ritual das cremações e se revelou um anfitrião excelente (o fulano já dizia que era meu irmão e tudo…). Depois da manhã agitada, lá regressámos ao hotel para partirmos para a visita guiada pelos becos e templos hindus de Varanasi.

Confesso que foi maravilhoso entrar naqueles templos (onde, acima de tudo, se adora o falo – ou “Lingam” – de Shiva) e ver os rituais, as cores, conhecer o panteão de deuses hindus (muito por alto), sem ter medo de praticar mais algum acto profano , graças à presença e instruções do nosso guia…

Ora, o nosso guia merece uma referência mais alongada: era um senhor muito afável e simpático com ar de paizinho de família mas que passou o tempo todo a falar de sexo: como no Ocidente era tudo mais liberal, como as pessoas faziam sexo constantemente como pessoas diferentes, como os rapazes emprestavam as respectivas namoradas uns aos outros sem ninguém se chatear e por aí fora…

Lá acabei por lhe explicar que a realidade é bocadinho diferente desse panorama mas acho que ele não ficou muito convencido… Ainda explicou como o cinema pornográfico tinha conhecido um “boom” (até desviou o nosso percurso dos templos hindus para nos mostrar um cinema pornográfico e tudo, LOL!) e queria levar-nos a comprar filmes pornográficos na candonga: enfim, foi uma tarde enriquecedora.

Para concluirmos o passeio o guia levou-nos ao armazém de um amigo que exporta peças de seda para as grandes casas de moda europeias (a seda de Varanasi é conhecida pela sua qualidade). Confesso que foi LINDO: dei por mim estendido num colchão a beber chá coberto de lenços de seda com os padrões mais arrebatadores que alguma vez vi (até aprendi a fazer o teste para reconhecer seda verdadeira e tudo): saímos de lá fascinados.

Regressámos para o Hotel, de onde partimos para o passeio de barco pelo Ganges ao anoitecer: foi um espectáculo de luz, cor, som e espiritualidade (até fizemos uma oferta ao Ganges e tudo!).
Voltámos ao Hotel e fomos dormir, partilhando o nosso quarto com o par de osgas que ali se instalou (estávamos tão cansados que nem fomos jantar).
("Scindia Ghat", o Ghat que se encontrava em frente ao nosso Hotel... foi mandado construir com dimensões tão imponentes que não se susteve e ruiu no Ganges)

(estátua da deusa Kali, numa das vielas de Varanasi)

(rua de Varanasi)

(búfalos a preguiçar no Ganges)

(prédio em Varanasi... reparem nos andaimes)

(Missionárias da Caridade de Varanasi)

(Gansos no Ganges)

(Nandi, o boi sagrado e fiel companheiro de Shiva)

(o Falo de Shiva, devidamente enfeitado para os devotos do sexo masculino lhe afagarem a cabeça)

(portão do Templo Dourado, Varanasi)

(Templo Dourado, Varanasi)

(interior do Templo Dourado, Varanasi)

(imagem de Krishna, Varanasi)

(imagem de Ganesh, Templo Dourado)

(mulheres em oração no Templo Dourado, Varanasi)

(interior da cúpula do Templo Dourado, Varanasi)

(venda de flores para oferta, Varanasi)

(edifício de um cinema pornográfico em Varanasi... no comments, LOL!)

(ofertas a flutuarem no Ganges)

(Varanasi vista do Ganges)

(Varanasi vista do Ganges)

(a nossa oferta para o Ganges...)

(Espectáculo do Fogo, visto do nosso barco, no Ganges)

(uma das nossas companheiras de quarto)

2 comentários:

  1. Tenho uma amiga que ia adorar esse quarto.

    ResponderEliminar
  2. cinema porno, que estranho não me lembra de ter visto tal coisa...grande tanga.

    ResponderEliminar